domingo, 24 de janeiro de 2016

A DOENÇA DE MAREK


A DOENÇA DE MAREK




A doença conhecida como neurolinfomatose, doença do olho cinza ou doença de Marek é uma doença viral das aves provocada por um vírus da família Herpesviridae, e que acomete as galinhas domésticas, com relatos de sorologia positiva e lesões sugestivas em outras espécies de aves.
            Trata-se de uma doença linfoproliferativa contra a qual existe vacinação, fato extremamente raro nas neoplasias. Manifesta-se sobre diversas formas, porem todas elas associadas a proliferação de linfoblastos, sendo a forma paralitica a mais comum, com acometimento dos nervos periféricos geralmente unilateralmente, produzindo uma sintomatologia conhecida como “posição de bailarino”, pois a ave se apresenta com uma perna distendida para trás e outra para frente. O nervo mais comumente afetado e o isquiático que se torna espessado com duas a três vezes o seu diâmetro normal e com alteração na coloração que de creme claro se torna acinzentado.  Outros nervos podem ser afetados, como por exemplo, o nervo vago, o que determina o aparecimento do “papo pendulo”, ou o nervo braquial provocando paralisa da asa.

            Quando ocorre o acometimento do olho, a infiltração de linfoblastos e outras células provoca uma descoloração da Iris que se torna cinzenta (a iris das galinhas geralmente é amarela ou alaranjada) e uma irregularidade no contorno da pupila, que perde sua forma circular, podendo progredir ate a cegueira.



            Podem ocorrer também tumores na pele na região dos folículos das penas, o que provoca no caso de frangos de corte, a condenação das carcaças devido ao aspecto repugnante que se estabelece.



            Nos órgãos viscerais podem aparecer infiltrados e aumento no volume que em alguns caso como no baço pode levar a ruptura com hemorragia, as vezes fatal. Os tumores podem também ser vistos no fígado, ovários, intestinos,etc.





            O vírus se replica no epitélio do folículo da pena e através do processo de descamação natural é liberado no ambiente junto com a poeira e partículas em suspensão sendo então inalado por aves suscetíveis que poderão ou não desenvolver a doença. O estado de infecção permanece e o vírus continua a se multiplicar e se disseminar no ambiente.
            A vacinação e a única forma de proteger as aves contra a doença, já que a mesma não tem cura depois de estabelecida, e deve ser feita no primeiro dia de vida do pintinho antes que ele tenha contato com outras aves e ambientes contaminados pelo vírus. A vacinação é feita através de injeção subcutânea na pele do pescoço em dose única. Existem diversas vacinas disponíveis no mercado sob a forma liofilizada ou congelada.  A produção de vacinas contra a doença de Marek foi um marco na historia da medicina e chegou-se a pensar na época que seria possível controlar o câncer humano com o uso de vacinas.
            A doença foi descrita pela primeira vez em 1907 pelo Dr Joszef Marek como uma paralisia parcial em galos, na Hungria. Posteriormente a doença recebeu o nome do pesquisador como uma homenagem ao seu trabalho.


            Um aspecto interessante da doença de Marek é que ela é capaz de induzir aterosclerose em galinhas, servindo estas aves como modelos experimentais desta condição patológica em seres humanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário